NÓS ESCREVEMOS O QUE SENTIMOS E PRECISAMOS

julho 28, 2016

Aquela sensação de alívio, as mãos suando de animação e o coração acelerando a cada palavra escrita, sabendo que estamos chegando perto do grande número... Aí você lembra que nem chegou na metade do livro.
No dia 24 de julho, eu completei a minha meta no Camp NaNoWriMo. Vinte mil palavras escritas em vinte e quatro dias, vinte e dois capítulos escritos e uma parte de quarto partes feitas. Eu lá no começo de tudo que eu tinha certeza que faria apenas uma parte do livro e foi isso o que aconteceu. Esse é com certeza a maior história que eu já escrevi na minha vida - eu estou bastante acostumada com contos e novelas - e saber que eu consigo sim escrever algo desse tamanho, é bem animador. OK, tamanho não vale nada se não tiver conteúdo, mas sempre que eu escrevia algo pequeno (e isso conta quando eu terminei o meu primeiro livro) eu sentia como se estivesse faltando algo, que tudo aquilo na minha cabeça não tinha se transcrito inteiramente para o papel, mas eu também não sabia o que fazer, o que mudar, como melhorar isso.
A história de Kaia & Valentina é algo bem real, é algo que pode acontecer com qualquer um. Não tem criaturas fantásticas, super poderes, um mundo mágico ou uma grande tragédia que vai fazer as personagens se transformar em algo. E é exatamente isso que eu amo nesse livro. São pessoas normais e extraordinárias, são histórias reais e únicas, são situações que qualquer um pode se identificar, é a história que eu me identifico. Conseguir escrever essa história e tirar de dentro de mim todo esse sentimento está sendo bem divertido, são coisas que você não pode dizer em voz alta com uma mistura de novidades; eu não estou ali, eu não sou meus personagens e vice-versa, eu queria colocar algo de mim ali e, ao mesmo tempo, explorar coisas e foi o que eu fiz com as personagens e tentei explorar durante esse mês do desafio.
O sentimento entre os dois livros que eu já escrevi e bem diferente. O legal de escrever esse gênero de livro é que eu posso me conhecer o máximo que eu posso e colocar isso no livro de várias formas possíveis. Com Querida Kat, eu ainda me sinto aflita com a reação das pessoas ao ler ele, eu tenho  receio dos comentários e o que elas vão achar; com Kaia & Valentina, eu quero que elas leem ele e se identifiquem com tudo nele, quero que elas leem se orgulhem e quero coisas positivas - porque é isso que eu quero nesse momento para mim.
É bom saber que podemos sentir assim diversas vezes e sentir coisas diferentes.

Eu sei que eu tenho o péssimo hábito de parar de escrever o Diário de Escrita depois dos NaNoWriMo, mas eu vou continuá-lo devido alguns projetos que apareceram e que eu estou super animada com eles - e para terminar de escrever Kaia & Valentina. Eu quero explorar o máximo que eu puder e com certeza compartilhar aqui.

0 comentários

POSTAGENS POPULARES

SIGA NO TWITTER