SMOKE + MIRRORS TOUR

abril 19, 2015

Toda a minha história com o Imagine Dragons começou em 2012, ou melhor: setembro de 2012 (pode ter sido entre os dias 12 a 15 de setembro de 2012), quando eu estava assistindo Glee e o meu personagem favorito começou a cantar It's Time e eu senti que essa música era a minha vida.
Em 2014, eu tive a chance de conhecer a minha banda favorita e foi a melhor experiência da minha vida. O que eu senti com eles no palco foi algo único e foi naquele momento que eu percebi que eles mudaram a minha vida para sempre. Eu saí do Lollapalooza naquele dia com os olhos inchados de tanto chorar e fiz uma promessa comigo mesma: eu iria em todos os shows que eles fizessem no Brasil.
Resultado: eles voltaram para o Brasil em 2015 e adivinha quem estava lá?

Os ingressos começaram a ser vendidos dia 26 de janeiro e, neste dia, às 10 horas da manhã lá estava eu na frente da Saraiva no shopping esperando a livraria começar a funcionar para eu comprar o ingresso. Vocês na perceberam o nível de amor que existe aqui né? Depois disso, eu tive que esperar 82 dias até o show, que aconteceu no dia 18 de abril. O melhor disso tudo é que os dois shows aconteceram em abril e por isso eu considero os melhores presentes de aniversários que eu ganhei até hoje.

crédito: T4F
O local do show seria o mesmo que ocorreu o show da Miley Cyrus (eu fui no show dela em setembro), então sabíamos que o lugar era enorme e não teríamos problema com espaço ou se íamos ficar muito longe. Acabamos saindo de casa às 17h30 para pegar dois metrôs e um táxi até a Arena Anhembi para o show que começaria 19h30 (o show de abertura). A atmosfera do lugar era incrível, porque a maioria das pessoas eram famílias: pais com seus filhos de nove anos, filhos com seus pais de sessenta anos; e isso deixou o clima bem mais amigável.
Ok, vamos para a parte interessante, o momento que eu gosto de chamar: O Caso da Vergonha Alheia. O show de abertura começou pontual e a atração era um DJ brasileiro chamado Gabriel Boni (sim, who?) e ter um DJ abrindo o show poderia ser super legal se ele fosse bom, talvez. Imaginem a cena: uma plateia de 21 mil pessoas totalmente parada enquanto a única pessoa dançando e "curtindo" o DJ era o próprio DJ (ok, algumas pessoas estavam sentadas, porque cansaram de ficar de pé). O melhor momento para aquele DJ foi no final quando todo mundo começou a aplaudir; bom, ele achou que estávamos aplaudindo ele, mas, na verdade, estávamos comemorando o final daquele setlist horrível!
O show começou também pontual e eles começaram com o single Shots, nesse momento eu já estava pulando e gritando e chorando. Eu já sabia o que esperar desse show de acordo com o show do ano passado, mas eu realmente não esperava pelo o que aconteceu. A banda cresceu muito em um ano e talvez seja porque esse era um show deles e não de um festival, então foi bem característico da banda. O palco estava maravilhoso e as luzes deram uma harmonia fantástica nas músicas.
Eu deveria escolher as minhas músicas favoritas que eles tocaram, mas todas as músicas foram incríveis e é impossível escolher a melhor performance (até Friction, que é minha menos favorita do CD, eu amei). Os meus momentos favoritos foram quando eles tocaram a minha música favorita do CD Hopeless Opus e a minha música favorita do CD Night Visions, Amsterdam, porque não estava no setlist e quando eles começaram a cantar, eu comecei a gritar e a cantar loucamente... ok, visualizem isso: o Dan começa a cantar um acústico da música e quando eu e minha amiga percebemos que é Amsterdam, nós gritamos e gritamos tão alto que um guri que estava a uns trinta passos olhou pra trás para ver quem era as loucas. Para melhorar, ninguém perto da gente parecia conhecer a música e eu e minha amiga éramos as únicas cantando (atraindo vários olhares feios).
Talvez seja porque nesse um ano entre um show e outro, eu tive a chance de conhecer ainda mais a minha banda favorita e, quando o CD saiu, eu vi cada entrevista, cada clipe, cada tweet, cada rumor e sabia exatamente o significado de cada música e o que as letras significava para o Dan (ele compõe a maioria das músicas). Esse show foi muito especial e valeu cada minuto, foi o melhor momento da minha vida, o melhor presente de aniversário, a melhor maneira de começar a minha última semana em São Paulo.
crédito: Imagine Dragons
Eu posso não ter ganhado as promoções para conhecer eles, eu posso talvez nunca conhecer eles pessoalmente, porém eu me sinto a pessoa mais especial por ser capaz de estar lá metros deles pela segunda vez e sentir essa conexão entre as músicas deles e tudo o que ela representa na minha vida.
Eu só sei de uma coisa: eu sou fã da melhor banda de rock do mundo.

1 comentários

  1. Essa sou eu fangirlando por associação só de pensar em quão incrível esse show deve ter sido. Não sou fã deles, mas eu sei como é ser fã e eu sinto tanta falta de ir em shows que acabo feliz pela experiência dos outros. Ótimo saber que esse show foi tudo que você desejou.

    ResponderExcluir

POSTAGENS POPULARES

SIGA NO TWITTER