Resumão Bienal do Livro SP

setembro 01, 2014

Setembro chegou e a Bienal já foi! Ainda não sei como passou tão rápido, mas para matar a saudades que já está dando, vamos falar sobre a Bienal (prometo que é a última vez). Esse ano, o evento me surpreendeu bastante, desde programação ao público. Nunca havia visto tantas pessoas na Bienal assim e fico muito feliz por ver tantos brasileiros lendo (mesmo que seja apenas um livro por mês), é muito legal ver que podemos sim calar a boca de pesquisas que diz que lemos quatro livros por ano. Sei que não estamos no ideal e que muita gente ainda não gosta de ler, mas a Bienal me mostrou que esse quadro está mudando.
A única reclamação que eu tenho para fazer sobre a Bienal de São Paulo foi que eles não tiveram noção do tamanho do PRÓPRIO evento. Quando ocorreu a superlotação do primeiro sábado, eles alegaram que não faziam ideia que tantas pessoas conheciam as "celebridades" internacionais do dia (Kiera Cass, Harlan Coben e Cassandra Clare). Acho que a primeira coisa que alguém tem que fazer quando vai convidar alguém para um evento é ter noção da "famosidade" da pessoa.
Fiquei muito triste por não ter conseguido ver a Kiera, que eu tinha planos há meses, assim como muita gente. Fiquei sabendo que, em algum evento, ao invés de liberarem a senha na hora combinada, eles liberaram antes mesmo do evento começar. Na verdade, fiquei sabendo de vários boatos sobre distribuição de senha e organização que me deixou muito triste e desanimada para voltar a fazer algum plano para alguma Bienal.
Sobre os livros, eu compre um total de 20 livros e devo dizer que estou muito feliz por ainda ter sobrado algum dinheiro. Esse foi, com certeza, o meu ponto alto de toda a Bienal. Consegui ótimos descontos, ótimas promoções e ótimos livros. Minha estante não está tão feliz assim, porque agora não tinha mais onde colocar novos livros.


Consegui três autógrafos e tive que desistir de alguns que estavam no meu planejamento. As autoras que conheci pessoalmente eram incríveis e tietei alguns outros de longe, me fazendo perceber que eles são realmente de verdade (pena que fiquei tímida demais para tietá-los de longe).
Fiquei convencida de que dias da semana são os melhores dia para fazer compras na Bienal e que final de semana será apenas para conhecer novas pessoas. Descobri que sessão de autógrafos de autores internacionais ou nacionais best-seller não dá na Bienal e, agora em diante, só em eventos particulares.

No sábado (23), fiquei para ver o bate papo da Kiera Cass. Ela é super fofa e não aguentou o carinho dos fãs, a gritaria era tanta que ela se encolhia e pedia toda educada para pararmos. Desculpa, Kiera, mas a emoção não deixa.
No bate papo, ela contou sobre os novos livros da Seleção e sobre a outra trilogia que ela estava escrevendo, mas agora parou para dar continuidade na história de America Singer. Kiera também contou que ela teve que escrever o primeiro livro todo de novo, depois de capturar a personalidade certa de America. O motivo para ela escrever novos livros é que ela percebeu que a conexão com os personagens ainda não tinha acabado e que podia aproveitar mais algumas informações que tinha.
Agora vem spoiler (acho), se você não leu os livros A Seleção, A Elite e A Escolha e não quer descobrir informações sobre a história, pule para a próxima parte!
A informação que mais chocou todo mundo foi que a primeira versão de A Seleção era totalmente diferente da versão que foi publicada. Segundo Kiera, Maxon teria morrido junto com seu pai e Amberly, rainha e mãe de Maxon, estaria viva e adotaria America, que se casaria com Aspen, e os dois governariam toda Iléa! Sim, eu estou chocada!!
Acabou o spoiler, podem voltar a ler :)
A parte mais fofa da entrevista foi quando Kiera disse que Aspen tinha sido inspirado em Callaway, seu marido, e eu capturei o SORRISSO MAIS LINDO DO UNIVERSO do Callaway para Kiera, mas o moço fotógrafo teve o favor de entrar na minha frente na hora em que eu iria tirar a foto. Obrigada, moço.
Infelizmente as fotos e os vídeos saíram de péssima qualidade então eu optei por não colocá-los aqui no blog :(

Essa semana foi uma semana incrível com irritação, sol na cara, xingamentos, mas com sorrisos, choros e momentos que não vou esquecer. Isso ocorre todo ano de Bienal e não é por isso que vou parar de ir no evento (por isso me chamam de masoquista), mas nessa eu, com certeza, aprendi algumas coisas e que vou mudar na próxima.
Essa foi a minha Bienal e espero que, na próxima, eu consiga conhecer pessoas novas e, quem sabe, coisas maravilhosas podem acontecer lá?

4 comentários

  1. Aloou Tati! Olha, cheguei a algumas mesmas conclusões que você nessa bienal. Principalmente sobre ir durante o final e o meio da semana hahah E caramba, 20 livros!! Vc lembra por quanto comprou "A Lista Negra"? A Pam (Garota it) foi só elogios pra esse livro no bate papo com a Tati Feltrin e fiquei super curiosa mas acabei esquecendo de ver depois!

    Que venham as próximas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Naya!
      Não lembro, mas acho que foi o preço normal de livraria (R$30). A Pam fala dele em zilhões de vídeos e de tanto ver ela comentando resolvi comprar de uma vez e tirar as minhas próprias conclusões :)

      beijos, tatii

      Excluir
  2. Oi tatii,
    Então você sabe que essas confusões a respeito da "famosidade" dos artistas aconteceram na Bienal do Rio ano passado também. E na daí foram cerca 20 mil pessoas mais do que o esperado, na do Rio foram cerca de 30 mil a menos e teve gente sendo pisoteada no dia do Nicholas Sparks. Essa história de marcar 3 autores internacionais no mesmo dia nunca daria certo, nunca mesmo! Eu só espero que nos próximos anos, as duas Bienais (tanto a do Rio quanto a de SP) aprendam com os próprios erros e os eventos sejam bem mais organizados, mesmo estando mais cheios que as últimas (O que a gente quer é cada vez mais gente lendo, certo?).
    Sobre a entrevista com a Kiera, que lindooo. Eu só li A Seleção até agora, e já me apaixonei pela forma como ela escreve e agora aos poucos to me encantando com ela também né? Não dá pra evitar. E depois desse post, da forma como você falou dela...Ai, ai.
    Enfim, era isso. Espero que você não se importe se eu imitar a forma como você organiza a Bienal para que eu possa aproveitar ao máximo ano que vem (e sair com mais livros do que eu sai ano passado).
    Beeijo.
    Giu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giu!
      Nossa, eu não sabia sobre esse dia do Nicholas, mas houve confusão no começo desse ano com ele aqui em São Paulo e foi parecido. Acho normal um evento ter um número a mais do que esperado, mas não a organização declarar que não sabia que um best-seller internacional era tão best-seller assim!
      A Kiera é muito fofa e qualquer um se apaixona por ela, com certeza :3
      Claro que eu não ligo, se você conseguir entender a minha forma de organização desorganizada hahaha Eu sofri muito durante esses oito meses que fiquei sem comprar livros, mas faria de novo só para aproveitar os descontos e conseguir tanto dinheiro como consegui.

      beijos, tatii

      Excluir

POSTAGENS POPULARES

SIGA NO TWITTER