A Maratona Literária e a Justificativa

junho 17, 2014

No domingo terminou a Maratona Literária e queria dizer que desta vez eu tenho uma boa justificativa para não ter conseguido terminar (ou começar) a minha meta.
Primeiro que eu tenho um pequeno problema de ler as coisas rápido demais e acabar entendendo outra coisa totalmente diferente do que está escrito. Quando vi a divulgação da Maratona juro para todos que estão lendo esse post que o desafio iria acontecer em julho (porque o post falava de férias e blábláblá). Um detalhe que todo mundo já está de férias - bem, 90% das pessoas - e eu não!
Mas mesmo depois de perceber esse erro de comunicação entre o post e minha mente meio falha, eu decidi pelo menos tentar ler a minha meta. O resultado foi bleh, junto com aquele sonzinho decepção. O desafio era ler sete livros em quinze dias, eu li dois e estou no terceiro; se você contar todo o conteúdo de provas que eu li dá os sete livros fácil, mas enfim...
Até hoje participei de três maratonas e eu consegui finalizar com sucesso apenas uma, sendo que a outra faltou apenas dois livros. Então acho que eu posso ter esse deslize, posso também culpar as minhas provas e a minha falta de férias durante a Copa do Mundo.
Porém com três livros lidos, eu resolvi ainda completar a meta do desafio. Então, vamos lá...

O primeiro livro que eu li, em tempo recorde, foi A Princesa Adormecida, da Paula Pimenta. Eu fui no evento de lançamento dela e comecei o livro ainda na fila, terminando-o no primeiro dia da Maratona (01 de junho). O livro é super fofinho e achei um pouco previsível, tem essa visão moderno do conto da Bela Adormecida e toda aquela coisa romântica.
Tentei pensar em uma música para o livro, mas não só pensava na música tema de Bela Adormecida. Portanto, a música de A Princesa Adormecida será Once Upon a Dream.


O segundo livro que eu li foi O Príncipe, de Maquiavel. Eu precisa ler para uma aula de sociologia na escola, mesmo não sendo um clássico da minha meta mereço um pontinho por ler um clássico. O livro é sobre política e como governar um país (território, em geral); achei muito interessante a interpretação do livro, mas não a leitura em si.
A música que escolhi para esse livro foi Everybody Wants to Rule the World (sente a ironia no título da música).


Então essa foi a minha frustrada Maratona Literária, mas espero que em julho (realmente, em julho) apareça outras Maratona que eu juro vou tentar participar.

0 comentários

POSTAGENS POPULARES

SIGA NO TWITTER